O Espírito Santo e a Eucaristia

A Igreja Católica celebra diariamente a Eucaristia, exceto na Sexta-Feira Santa, nas liturgias que a Igreja, dirigida pelo Espírito Santo, tem formulado através das gerações.

Jesus Cristo foi concebido pela Virgem Maria pelo poder do Espírito Santo (Mateus 1:18 e Lucas 1:35). O Paráclito desceu sobre Cristo na forma de uma pomba quando Ele foi batizado no rio Jordão (Mateus 3:16). Após a Ressurreição, Jesus soprou o Espírito sobre os apóstolos (João 20:22) para participarem na Sua própria missão (João 20:21). O Paráclito desceu sobre os apóstolos reunidos no Cenáculo em oração com a Virgem Maria no Pentecostes (Atos 2:1-4), e preparou os apóstolos para proclamar a Boa Nova a todas as nações. Cristo continua ativo na Igreja através do Espírito Santo.

 

 

A Igreja primitiva reconheceu o papel determinante do Espírito de Deus na celebração eucarística, principalmente na consagração. Santo Cirílio de Jerusalém afirmou que “pedimos ao Pai através da Sua misericórdia para enviar o Espírito Santo sobre as oblatas e transformar o pão no Corpo de Cristo e o vinho no sangue de Cristo. A presença do Espírito Santo tudo santifica e transforma.” “O Espírito Santo consagra o pão e o vinho, reúne os fiéis a Cristo “num só corpo” e transforma-os numa oferenda espiritual agradável ao Pai Celestial,” mencionou São João Crisóstomo.

Após o Pentecostes os apóstolos e os discípulos, convertidos e batizados, “dedicavam-se à fração do pão e às orações” (Atos 2:42).  A Encíclica Dominum et Vivificantem afirma: “Dirigida pelo Espírito Santo, a Igreja desde a sua origem confessava e confirmava a sua identidade através da Eucaristia … No sacrifício do Filho do Homem o Espírito Santo está presente e ativo … Cristo na sua humanidade sujeita-se completamente à ação do Espírito de Deus … Através da Eucaristia, indivíduos e comunidades, pela ação do Conselheiro, descobriram o sentido divino da vida humana.”

A Igreja original era uma comunidade fundada nos ensinamentos dos apóstolos (Atos 2:42).  Era totalmente dirigida pelo Espírito Santo que iluminava os crentes a compreender a Palavra, e unia-os fraternalmente na Eucaristia. A Igreja Católica cresceu numa multidão de crentes que tinha “um só coração e uma só alma.”   (Atos 4:32)

Advertisements
This entry was posted in Português and tagged . Bookmark the permalink.