Sindroma Pós-Aborto

 

O Sindroma Pós-Aborto descreve as consequências emocionais e psicológicos do aborto. Os adolescentes são especialmente vulneráveis ao sindroma porque se encontram numa fase crítica da vida. A nossa sociedade, muitas vezes ignora as consequências dolorosas do aborto, mas a ansiedade, o medo, a vergonha, a culpa e a tristeza podem ressurgir agravadas pelo tempo. O artigo Marcha pela Vida condena a caraterização do aborto do Presidente Barack Obama como uma oportunidade para as mulheres “alcançarem os seus sonhos.”

A culpa é frequente quando as mulheres reconhecem que violaram o código moral após cometerem um aborto, e a culpa é implacável devido ao instinto protetor da mãe pela criança em gestão. A mulher, muitas vezes, expressa a sua culpa e vergonha através de ódio para consigo e outros envolvidos na decisão do aborto. Ela também pode odiar e abusar os próprios filhos.

Um estado físico e emocional desagradável de apreensão, ansiedade, pode atormentar as mulheres após o aborto. A violação pela mulher do seu código moral pode gerar muita ansiedade, que envolve tensão, sintomas físicos, como dores de cabeça e complicações grásticas, preocupação com o futuro e insónia.

Abortos realizados para salvaguardar relacionamentos geralmente falham o objetivo, particularmente entre pessoas solteiras, e o fracasso pode contribui para um sentimento de perda e depressão. É um estado de espírito triste, culpado e sem esperança que pode causar imobilização e perda de interesse na vida. Mulheres que abortaram têm nove vezes mais probabilidade de tentar o suicídio do que outras mulheres por causa do sentimento de rejeição, falta de amor próprio, culpa e depressão. Outros problemas psicológicos podem envolver a alimentação, o abuso de álcool e de drogas e pesadelos.

Advertisements
This entry was posted in Português and tagged . Bookmark the permalink.