Parábola do Rico Insensato

 

Então lhes contou esta parábola: A terra de certo homem rico produziu muito. Ele pensou consigo mesmo: ‘O que vou fazer? Não tenho onde armazenar minha colheita’. Então disse: ‘Já sei o que vou fazer. Vou derrubar os meus celeiros e construir outros maiores, e ali guardarei toda a minha safra e todos os meus bens. E direi a mim mesmo: Você tem grande quantidade de bens, armazenados para muitos anos. Descanse, coma, beba e alegre-se’”. “Contudo, Deus lhe disse: ‘Insensato! Esta mesma noite a sua vida será exigida. Então, quem ficará com o que você preparou?’ “Assim acontece com quem guarda para si riquezas, mas não é rico para com Deus.”  (Lucas 12:16-21)

A parábola narrada por Jesus mostra o comportamento de um homem avarento e ambicioso com uma única preocupação: trabalhar para acumular bens materiais. Pouco sabemos dele, porém podemos imaginar que não se lembrava dos pobres, miseráveis e famintos. O monólogo do fazendeiro é negativo e egocentrista, porque a pessoa ligada à propriedade, posição social ou realizações pode facilmente ignorar Deus e o próximo.

Não são os bens materiais que trazem segurança e felicidade. São bens para o Reino de Deus que devem ser acumulados, disse Jesus! O rico perante Deus é aquele que não acumula riquezas para si, mas sim para o bem do próximo. Trabalha para o bem comum, e não é avarento nem pródigo. O verdadeiro rico ama o próximo, e mantem os seus celeiros transbordantes de boas obras para a eternidade.

São Basílio de Cesareia, Bispo grego e Doutor da Igreja do século IV, realçou que as riquezas são um dom de Deus distribuído desigualmente, para que alguns se convertam pela paciência e humildade, enquanto outros ganhem tesouros para o Céu distribuindo os seus bens. A riqueza não é má, mas o avarento é imprudente porque esquece-se que está apenas administrando bens que Deus lhe concedeu.

Esta parábola é alertante! Devemos trabalhar e poupar para o futuro, porém é preciso lembrar que estamos neste mundo apenas de passagem, não sabemos se viveremos amanhã, e devemos amar o próximo. Apresento estatísticas mundiais sombrias do ano 2013 no contexto da parabola: a população consiste aproximadamente de 7,1 biliões de pessoas, e 1% controla 46% da riqueza segundo informou a REUTERS a 9 de Outubro.

Advertisements
This entry was posted in Português and tagged . Bookmark the permalink.