Diálogo de Cristo com a Samaritana

 

Os Judeus normalmente não falavam com mulheres em público e os Judeus não conviviam com os Samaritanos devido a animosidade. A religião dos Samaritanos era semelhante ao Judaísmo, exceto mais liberal. Aceitavam o Pentateuco, observavam algumas festas judaicas, e ansiavam pela vinda do Messias. No entanto, os Judeus consideravam estranha a religião dos Samaritanos.

Uma Samaritana chegou para tirar água, enquanto Jesus descansava no poço de Jacob, e o Mestre dirigiu-se a ela: “dá-me de beber.”  Entretanto os discípulos tinham ido à cidade comprar comida Os Judeus não comiam alimentos produzidos ou manipulados por Samaritanos, mas talvez os discípulos foram influenciadas pela aceitação gentil de Jesus de qualquer ser humano.

A mulher respondeu a Jesus: “Como é que você, um Judeu, pede uma bebida a mim, uma Samaritana?” Cristo disse: “se conhecesses o dom de Deus, e quem te diz “dá-me de beber” tú terias pedido-lhe, e ele te daria água viva.” A mulher continuou: “onde vai você obter essa água viva?” O Senhor informou que a água era a salvação eterna.

“Vai, chama o teu marido e volta”, instruiu o Senhor. Ela respondeu: “não tenho marido!” Cristo observou: “já tivestes cinco maridos, e o homem com quem vives não é teu marido.” Então a mulher disse: “Senhor, vejo que Tu és um profeta.”  A senhora foi gradualmente admitindo que o homem possivelmente seria o Messias.

O Senhor comentou que a salvação vem dos Judeus, porque Deus concebeu um plano através da nação hebraica. Cristo então declarou que a hora se aproximava quando haveria verdadeiros adoradores, que pertencem a Deus como seus filhos redimidos e adoram consoante a divina revelação. A adoração genuína consiste em três elementos: (1) o verdadeiro objeto de adoração é a Santíssima Trindade (2) a adoração deve ser em espírito e (3) deve seguir a revelação divina.

A Samaritano curiosa concluiu que Jesus era um profeta, na mente samaritana, o Messias. Ela introduz o tema diretamente: “sei que o Messias, Cristo, está quase a chegar; quando vier, Ele vai-nos declarar tudo.” Esta mulher acreditava no Messias, um professor, não um conquistador militar, que ainda estava para vir. Jesus simplesmente disse-lhe: “Eu, aquele que fala contigo, sou ele.” Os discípulos voltaram da cidade e admiraram-se ao contemplar Jesus “falando” com a mulher.

A seguinte passagem bíblica narra o diálogo de Cristo com a Samaritana:

“Veio uma mulher da Samaria tirar água. Pediu-lhe Jesus: Dá-me de beber. (Pois os discípulos tinham ido à cidade comprar mantimentos.) Aquela samaritana lhe disse: Sendo tu judeu, como pedes de beber a mim, que sou samaritana!… (Pois os judeus não se comunicavam com os samaritanos.) Respondeu-lhe Jesus: Se conhecesses o dom de Deus, e quem é que te diz: Dá-me de beber, certamente lhe pedirias tu mesma e ele te daria uma água viva. A mulher lhe replicou: Senhor, não tens com que tirá-la, e o poço é fundo… donde tens, pois, essa água viva? És, porventura, maior do que o nosso pai Jacó, que nos deu este poço, do qual ele mesmo bebeu e também os seus filhos e os seus rebanhos? Respondeu-lhe Jesus: Todo aquele que beber desta água tornará a ter sede, mas o que beber da água que eu lhe der jamais terá sede. Mas a água que eu lhe der virá a ser nele fonte de água, que jorrará até a vida eterna. A mulher suplicou: Senhor, dá-me desta água, para eu já não ter sede nem vir aqui tirá-la!

Disse-lhe Jesus: Vai, chama teu marido e volta cá. A mulher respondeu: Não tenho marido. Disse Jesus: Tens razão em dizer que não tens marido. Tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu. Nisto disseste a verdade. Senhor, disse-lhe a mulher, vejo que és profeta!… Nossos pais adoraram neste monte, mas vós dizeis que é em Jerusalém que se deve adorar. Jesus respondeu: Mulher, acredita-me, vem a hora em que não adorareis o Pai, nem neste monte nem em Jerusalém. Vós adorais o que não conheceis, nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus. Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores hão de adorar o Pai em espírito e verdade, e são esses adoradores que o Pai deseja. Deus é espírito, e os seus adoradores devem adorá-lo em espírito e verdade. Respondeu a mulher: Sei que deve vir o Messias (que se chama Cristo); quando, pois, vier, ele nos fará conhecer todas as coisas. Disse-lhe Jesus: Sou eu, quem fala contigo.

Nisso seus discípulos chegaram e maravilharam-se de que estivesse falando com uma mulher. Ninguém, todavia, perguntou: Que perguntas? Ou: Que falas com ela?”  (João 4:7-27)

Advertisements
This entry was posted in Português and tagged . Bookmark the permalink.