A Misericórdia Infinita de Cristo

 

“Um dos malfeitores, ali crucificados, blasfemava contra ele: Se és o Cristo, salva-te a ti mesmo e salva-nos a nós! Mas o outro o repreendeu: Nem sequer temes a Deus, tu que sofres no mesmo suplício? Para nós isto é justo: recebemos o que mereceram os nossos crimes, mas este não fez mal algum. E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim, quando tiveres entrado no teu Reino! esus respondeu-lhe: Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso.”  (Lucas 23:39-43)

O comportamento dos malfeitores é um exemplo singular da resposta da Humanidade à Misericórdia Infinita de Cristo, e o artigo A Mãe de Cristo e a Misericórdia Divina narra a confirmação da Misericórdia Infinita de Cristo por Maria Santíssima. No entanto, Ele advertiu claramente a Irmã Faustina, em 17 de Fevereiro de 1937, acerca das consequências da nossa resposta à Sua Misericórdia Infinita.

“Almas perecem apesar da Minha dolorosa Paixão. Estou dando-lhes a última esperança da salvação; isto é, a Festa da Minha Misericórdia. Se elas não adorarem a Minha misericórdia, perecerão por toda a eternidade, Secretária da Minha misericórdia, escreve, comunica às almas a Minha grande misericórdia, porque o dia terrível, o dia da Minha justiça, está próximo.”  (Diário 965)

Advertisements
This entry was posted in Português and tagged . Bookmark the permalink.