Irmã Faustina e Iluminação

 

Este ensaio complementa o artigo Iluminação da Consciência e descreve um Mini-Julgamento da Irmã Faustina.

“Uma vez fui chamada ao julgamento (assento) de Deus. Fiquei sozinha diante do Senhor. Jesus apareceu tal como olhava durante a Sua Paixão. Passado um momento, as Suas feridas desapareceram, excepto cinco, as das mãos, as dos pés e a do lado. De repente, vi a condição completa da minha alma como Deus a vê. Podia contemplar tudo o que desagradava a Deus. Não sabia, que mesmo as menores transgressões, terão de ser expiadas. Que momento! Quem pode descrevê-lo? Comparecer diante do Santo Deus! Jesus perguntou-me: quem és? Respondi: ‘sou a tua serva, Senhor.’ És culpada de um dia no purgatório. Queria atirar-me imediatamente às chamas do purgatório, mas Jesus segurou-me e perguntou-me, o que preferia, sofrer agora um dia  no purgatório ou um curto periodo na Terra? Respondi, ‘Jesus, quero sofrer no purgatório, e quero sofrer também as maiores dores na terra, mesmo que seja até ao fim do mundo.’ Jesus disse: um [dos dois] é suficiente; voltarás à Terra, e lá sofrerás muito mais, mas não por muito tempo; cumprirás a minha vontade e os meus desejos, e uma fiel serva minha irá ajudar-te. Agora, descansa a tua cabeça no meu peito, no meu coração, e ganha força e poder para ultrapassar os sofrimentos, porque não encontrarás nem alívio nem ajuda nem conforto noutro lugar. Terás muito, muito a sofrer, mas não te assustes; estarei contigo.”  (Diário 36)

Advertisements
This entry was posted in Português and tagged . Bookmark the permalink.