O Relatório da Commissão de Medjugorje

 

Treze votos a favor do reconhecimento do caráter sobrenatural das primeiras sete aparições em Medjugorje, um voto contra e uma votação “suspensiva”, que dará uma resposta final mais tarde. [Houve uma] maioria de votos suspensivos e muitas dúvidas, em vez disso, sobre o fenómeno de aparição desde o final de 1981 até ao presente.

Este é o resultado do trabalho realizado pela comissão de Medjugorje, formada em 2010 por Bento XVI e presidida pelo Cardeal Camillo Ruini. A comissão reuniu-se 17 vezes e rastreou todos os documentos arquivados no Vaticano, a paróquia de Medjugorje e os arquivos dos serviços secretos da antiga Jugoslávia. A comissão ouviu todos os videntes e as testemunhas, e em Abril de 2012, a comissão realizou uma inspeção na aldeia de Herzegovina. A comissão notou uma diferença nitida entre o início do fenómeno e a sua progressão, e portanto, decidiu emitir dois votos distintos nas duas fases diferentes: as primeiras sete presumíveis aparições entre 24 de Junho e 3 de Julho de 1981, e tudo o que aconteceu mais tarde. Membros e especialistas apresentaram 13 votos a favor do reconhecimento do caráter sobrenatural das primeiras aparições. Um membro votou contra e um perito expressou um voto suspensivo. A comissão argumenta que os sete jovens videntes eram psiquicamente normais e foram apanhados de surpresa pela aparição, e que nada do que eles viram foi influenciado pelos franciscanos da paróquia ou quaisquer outra pessoas. Eles resistiam a relatar os acontecimentos, apesar da polícia os prender e ameaçar de morte. A comissão também rejeitou a hipótese demoníaca das aparições.

A comissão sancionou o fim da proibição das peregrinações organizadas em Medjugorje, votou a favor de “uma autoridade dependente da Santa Sé” em Medjugorje, e na transformação da paróquia em um santuário papal.

______________________________________________________________

A comissão considerou a natureza sobrenatural das primeiras sete aparições e expressou muitas dúvidas sobre aparições posteriores. A decisão, um passo gigante na direção certa, foi publicada pelo Vatican Insider, em 16 de Maio de 2017.

A própria Irmã Lúcia teve aparições de Nossa Senhora falando sobre o seu envolvimento em Medjugorje; Portanto, Irmã Lúcia teria confirmado as aparições de Medjugorje através de suas próprias revelações privadas da Virgem.

Advertisements
This entry was posted in Português and tagged . Bookmark the permalink.

One Response to O Relatório da Commissão de Medjugorje

Comments are closed.