Milagres

 

Um milagre é um evento que não é explicável por leis naturais ou científicas realizado por Deus, e santos ou místicos dotados do carisma dos Milagres pelo Espírito Santo como Ele deseja. No Novo Testamento, o maior milagre é a Ressurreição de Cristo, que é primordial à fé Cristã.

Jesus realizou vários milagres durante a sua vida pública, começando com a transformação da água em vinho num casamento em Caná.

No terceiro dia houve um casamento em Caná da Galiléia. A mãe de Jesus estava ali; Jesus e seus discípulos também haviam sido convidados para o casamento. Tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: “Eles não têm mais vinho”.  Respondeu Jesus: “Que temos nós em comum, mulher? A minha hora ainda não chegou”.

Sua mãe disse aos serviçais: “Façam tudo o que ele lhes mandar”.

Ali perto havia seis potes de pedra, do tipo usado pelos judeus para as purificações cerimoniais; em cada pote cabiam entre oitenta e cento e vinte litros.

Disse Jesus aos serviçais: “Encham os potes com água”. E os encheram até a borda.

Então lhes disse: “Agora, levem um pouco ao encarregado da festa”.

Eles assim fizeram, e o encarregado da festa provou a água que fora transformada em vinho, sem saber de onde este viera, embora o soubessem os serviçais que haviam tirado a água. Então chamou o noivo e disse: “Todos servem primeiro o melhor vinho e, depois que os convidados já beberam bastante, o vinho inferior é servido; mas você guardou o melhor até agora”.

Este sinal miraculoso, em Caná da Galiléia, foi o primeiro que Jesus realizou. Revelou assim a sua glória, e os seus discípulos creram nele.  (João 2:1-11)

Deus intervém constantemente na história, tanto em modos imperceptíveis como perceptíveis. O Milagre do sol em Fátima, Portugal, a 13 de Outubro de 1917, foi uma maravilha mundialmente conhecidao. Consulte o artigo Fátima, 13 de Outubro de 1917.

O Espírito Santo dotou certos místicos com o Carisma do Poder de fazer Milagres. O popular Santo António de Pádua (Português: Santo António de Lisboa), nascido Fernando Martins de Bulhões (1195-1231), sacerdote católico português e frade da Ordem Franciscana, é um exemplo distinto.

Deus operou inúmeros milagres na vida do sacerdote franciscano, Santo António de Pádua e a sua reputação de santidade foi universalmente aclamada. Não surpreende que, imediatamente após a sua morte dele os milagres realizados no seu túmulo fossem tão prodigiosos que o Bispo de Pádua pedisse ao Vaticano a sua canonização. Um inquérito judicial foi instituído sem demora, e por excepção considerada incomparável na história, em 30 de Maio de 1232, o Papa Gregório IX, pronunciou solenemente o decreto de canonização, apenas onze meses após a morte de António. Tal foi a santidade notável santidade de Santo António.

Um dia, um frade falava sobre a bilocação de Santo António de Pádua que milagrosamente apareceu em Lisboa, disse ao Padre Pio: “Talvez esses privilegiados do Senhor nem sequer saibam quando ocorreu a sua bilocação”.  O Padre Pio rapidamente interrompeu-o como quem tem experiencia na matéria respondeu: “Sabem certamente. Não sabem se é o corpo ou a alma a mover-se, mas estão muito conscientes do que acontece e sabem para onde vão”.

A bilocação é um dom especial de Deus, onde um indivíduo pode estar em dois lugares simultâneamente. Deus usa sempre esse dom para atos de misericórdia ou caridade a serem realizados pelo Santo, em circunstâncias em que é fisicamente impossível o Santo estar presente em circunstâncias normais.

O vídeo ilustra a bilocação de Santo António, que esteve presente simultaneamente na Itália, onde pregava, e em Portugal onde defendeu o pai num tribunal numa falsa acusação de assassinato. A vítima do assassinato apareceu milagrosamente no tribunal para testemunhar que o pai de Santo António estava inocente do assassinato.

Advertisements
This entry was posted in Português and tagged . Bookmark the permalink.